Uma casa de vidro enterrada no gramado

A esquadria fina de alumínio é a única separação visível entre o interior e o exterior de uma casa de campo no País de Gales. Na falta de um jardim demarcado por cercas, a arquiteta Amanda Levete decidiu enterrar a residência em uma encosta.

As curvas orgânicas da estrutura envidraçada parecem derreter sob o gramado, e se fundem à paisagem. Se não fosse pela chaminé, aliás, seria impossível encontrar a casa.

Diante da vista deslumbrante, o interior é marcado por um projeto simples e extremamente funcional para aproveitar melhor o espaço, cheio de luz e com uma sensação de liberdade.

Na grande área, dois módulos amarelos pré-fabricados substituem as paredes e funcionam como gabinetes e até como pequenos cômodos. O banheiro fica escondido atrás da porta, enquanto a cozinha é acoplada no nicho colorido.

No living, outro ponto de cor (e de contraste) surge no sofá colocado em volta da lareira para se manter como o local mais aconchegante e confortável da casa, da mesma maneira que a cama foi posicionada no canto para fugir da luz logo de manhã cedo.

Fonte: http://casavogue.globo.com/arquitetura/uma-casa-de-vidro-enterrada-no-gramado/